29 abril 2009

Visita à Cervejaria Wäls


Estando em Belo Horizonte não poderia deixar de escapar a oportunidade de conhecer a cervejaria Wäls, onde são feitas algumas das melhores cervejas artesanais brasileiras. A Wäls surgiu no ano de 1999 em Belo Horizonte e quase que concomintantemente no Rio de Janeiro. Infelizmente, principalmente para os cariocas, o projeto no Rio de Janeiro não vingou e por isso não existe mais. O Sr. Miguel Carneiro Neto era empresário do ramo de alimentação em Belo Horizonte. Ele possuía uma rede de fast-food (Bang-bang) onde era servido chope Kaiser e teve a idéia de fabricar seu próprio chope. Chamou o amigo Tácilo Coutinho para trabalhar na produção das cervejas e iniciou o projeto. O nome Wäls não tinha nenhum significado específico, mas hoje dá nome a uma das mais destacadas microcervejarias brasileiras.

No começo eram fabricados chopes Pilsen, Stout e English Pale Ale. O público mineiro estranhou os novos sabores, então eles tiveram que regredir nos planos de fabricar cervejas "diferentes", mas continuaram fabricando uma pilsen de qualidade. Ainda em 1999, Tiago Carneiro, filho de Miguel, começou a trabalhar na cervejaria na área de administração. O outro filho de Miguel, José Felipe Carneiro, entrou na empresa no ano de 2002, assumindo função na área de marketing e como ajudante de produção de Tácilo Coutinho.

Sala de cozimento da Wäls.

Fermentadores/maturadores contendo o chope Wäls. Observem os barris sendo preenchidos de chope que será distribuído em Belo Horizonte.

Pasteurizador -
Equipamento que recebe as garrafas de cerveja Wäls para realizar a pasteurização.


No ano de 2007, em viagem à São Paulo para visitar a Brasil Brau (feira para produtores de cerveja), Tácilo Coutinho provou uma Dubbel e decidiu que iria produzir uma cerveja do seu estilo preferido. Dessa história surgiu a primeira cerveja especial da Wäls na tentativa de entrar novamente neste mercado. A Wäls Dubbel é uma cerveja deliciosa e que segue o estilo belga de fazer cerveja. Foi tomado todo o cuidado na preparação da cerveja, incluindo uma apresentação com uma das garrafas mais bonitas presentes tanto no mercado brasileiro como mundial. É uma garrafa de 750ml fechada com rolha com uma aparência bem clássica. A cerveja recebe duas fermentações, incluindo uma dentro da garrafa, o que proporciona um amadurecimento dos aromas e sabores da cerveja com o tempo. Também é possível encontrá-la em garrafas long-neck (355ml).

Fomos muito bem recebidos pelo sr. Miguel e por José Felipe.

Em 2008 foram lançadas mais duas cervejas. A Wäls Trippel também segue a escola belga e pode ser encontrada em garrafas de 750 e 355ml, sendo refermentadas na garrafa. A Wäls Pilsen segue o estilo original da República Tcheca, com boa presença de lúpulo. Esta é encontrada somente em garrafas de 355ml. Neste caso a cerveja recebe uma mistura de quatro tipos de lúpulo e tem 43 IBU (International Bitterness Units - unidade de medida de amargor). Uma "paulada" de lúpulo se comparado com as "pilsens" mais comuns nacionais que tem em torno de 12 IBU. Aliás, todas as cervejas da Wäls possuem uma presença marcante de lúpulo, o que não é tão comum em estilos Dubbel ou Trippel mas que me deixa encantado. Adoro lúpulo e esta ousadia da Wäls me dá esperança de que é possível ousar ao fazer cerveja e mesmo assim conseguir ótimos resultados. O mercado americano de cerveja artesanal (Craft Brewing) atual vive de produzir cervejas inusitadas e extremas. Desta forma o próprio José Felipe define o trabalho na Wäls como o de um cientista porque envolve muita experimentação.

Durante a visita pude conhecer as instalações da Wäls e degustar todas as cervejas fabricadas por lá. A oportunidade foi sensacional pois degustei as cervejas em várias etapas do processo de fabricação. Pude degustar uma Trippel ainda fermentando e outra logo depois de iniciar a refermentação na garrafa (nem rótulo tinha ainda). Nestas fases o lúpulo ainda está bem forte e presente. A Pilsen foi degustada na fase maturação e depois de passado um ano a data de fabricação, encerrando o prazo de validade. Como o lúpulo tem propriedades conservantes, a cerveja ainda estava em perfeito estado. Na Pilsen também é impressionante a presença do lúpulo nestas fases. A Dubbel foi degustada logo depois de iniciar a refermentação na garrafa (sem rótulo) e outra garrafa de 750ml do primeiro lote, ou seja, com 2 anos de guarda. É impressionante como a cerveja evolui e fica mais complexa. Não pensei nem duas vezes e trouxe algumas comigo para deixar de guarda aqui em Fortaleza. Vou publicar um post depois com uma descrição melhor das cervejas Wäls, incluindo o perfil sensorial de cada uma.

Degustando cervejas direto dos fermentadores/maturadores (Trippel e Pilsen).

Chope Wäls.

Wäls Pilsen. Uma ótima Bohemia Pilsen carregada de lúpulo (43IBU).

Wäls Dubbel com 2 anos de guarda (750ml) e ainda refermentando na garrafa (sem rótulo - 355ml).

Wäls Trippel ainda refermentando.

Para este ano de 2009 a Wäls promete novidades. Uma delas é a Wäls Quadruppel, mais uma cerveja de estilo belga, só que esta vai receber chips de carvalho na maturação, o que promete adicionar uma boa complexidade à cerveja. A outra novidade ainda é segredo, mas José Felipe promete que vai lançar um produto que vai agradra muita gente e agregar valor ao paladar do brasileiro. Não sei se conseguirei esperar por estas novidades sem ficar ansioso. Com certeza irei à caça delas quando forem lançadas.

Infelizmente, no início deste ano Tácilo Coutinho deixou este mundo. A função de produção da Wäls ficou sob a responsabilidade de José Felipe que promete continuar a fabricação de cervejas de qualidade. Parabenizo a todos da Wäls pelo trabalho que vocês fazem. É fácil perceber a paixão que vocês possuem pela sua cerveja, o que me deixa muito feliz. Para finalizar, agradeço o carinho com que fomos recebidos.

5 comentários:

Jose disse...

Parabéns pelo post! Ficou show de bola! Pessoas como você é que fazem a cultura cervejeira ficar cada vez mais difundida. Estamos de portas abertas para o que precisar.

Abraços,

José Felipe Carneiro

Rodrigo Campos disse...

Olá José Felipe,

A divulgação da cultura cervejeira é algo que faço por prazer (não recebo nada por isso) e para que um dia possamos ter um mercado realmente aquecido e como muitas novidades (não somente importadas, mas também feitas no Brasil). Também sou consumidor e serei beneficiado com isso.

Muito obrigado pelos elogios. Agradeço novamente a forma como você nos recebeu na Wäls. Espero um dia poder voltar... e também degustar as novidades que estão chegando!

Um grande abraço.

Fábio Guzzo disse...

Olá Rodrigo! Parabéns pelo Blog!! Também estou postando umas coisas no meu: www.atelierdacerveja.blogspot.com
A Wals realmente é ótima, ontem mesmo tomei a Triple e a Dubbel(ótima), mas sou fã mesmo da Pilsen!
Abs

Jean disse...

Prezado Rodrigo,

As visitas rederam em BH,né Rodrigo? Muito interesante as postagens sobre as cervejarias.

Um abraço,

Jean Claudi.

Rodrigo Lemos disse...

Eu também agradeço ao Zé Felipe pela simpatia e tratamento dispensado a vocês e à gente também! Agradeço - e parabenizo - o Zé também pelo trabalho que ele vem fazendo... as cervejas da Wäls estão detonando! Estão entre as minhas preferidas dos respectivos estilos... abraços!

Related Posts with Thumbnails