29 dezembro 2008

Guinness Draught



A Guinness é a cerveja símbolo da Irlanda e ao mesmo tempo a cerveja que simboliza o estilo Stout, uma cerveja preta feita com maltes tostados que dão o mesmo caráter à cerveja, além de um amargor pronunciado. Sua história teve início em 1759, quando Arthur Guinness começou a produzir sua cerveja em uma fábrica alugada em Dublin. Em 1862 a Harpa irlandesa foi adotada como símbolo da cervejaria.

Com quase 300 anos de história, a cerveja Guinness é produzida com a mesma composição: malte irlandês, água de Dublin, lúpulo e levedura. A cerveja Guinness é produzida localmente em 55 países e comercializada num total de 155 países, possuindo 80% de participação no mercado mundial de cerveja preta. Ao redor do mundo, 170 mil pubs consomem 10 milhões de copos (pints) de Guinness diariamente. Guinness é a sexta cervejaria do mundo, proprietária de marcas como Harp e Kilkenny, também disponíveis no Brasil. Suas vendas chegam a de 2,7 bilhões de litros de cerveja por ano.

A Guinness Draught é encontrada no Brasil envasada em barris (Chop), latas e garrafas long neck. Em todas existem dispositivos que liberam gás nitrogênio na cerveja no momento em que as servimos. Este gás nitrogênio força a saída do gás carbônico da cerveja para o colarinho, provocando um belo efeito na espuma conhecido como efeito cascata. Esta em questão é em lata e após serví-la é possível detectar a presença de uma esfera plástica dentro da lata. Esta esfera é uma capsula que aprisiona o gás nitrogênio até o momento em que abrimos a lata.

Este vídeo mostra a maneira correta de servir uma lata de Guinness Draught, toda de uma só vez no copo para lançar todo o gás nitrogênio no copo com a cerveja. Veja o efeito conseguido.


video



Guinness Draught - Dry Stout, Ale, 4,1% ABV, Lata 440 ml.

Cor: Preta opaca, translucidez quase zero.
Espuma
: Média formação, efeito cascata provocado pelo nitrogênio, bem consistente, bolhas minúsculas, cor bege, dura até o final.
Aroma: Basicamente café expresso e torrado, ambos leves.
Paladar: Café expresso, torrado, malte, amargor final com boa duração, baixíssimo corpo.

Cerveja clássica. Deve ser provada por qualquer pessoa que queira conhecer melhor sobre cerveja, porém não está entre minhas preferidas. Já impressionou mais quando ainda era uma novidade e eu não possuía muito conhecimento nem tinha provado muita variedade de boas cervejas. O efeito cascata provocado pelo nitrogênio tem uma beleza bem particular mas deixa a cerveja com menos corpo, pois ela fica sem o gás carbônico que foge todo para o colarinho. Ela fica com uma textura muito aguada. Este problema não aparece em outras versões da Guinness que não usam o nitrogênio. No próximo post escreverei mais sobre isto.

4 comentários:

talespf disse...

fala dr. rodrigo!
Rapaz, muito legal esse post sobre a Guinness Draught. Eu sempre tive curiosidade para provar essa danada, mas confesso que me decepcionei um pouco quando soube (há algum tempo atrás, com você mesmo) que ela é servida desgaseificada. Difícil conceber cerveja sem o bom e velho CO2!! Mas, como você mesmo diz, é uma cerveja clássica, que deve ser apreciada por qualquer interessado em cervejas que se preze.
Mas não vou negar que a Special Export me deu mais água na boca, hehehe... e que linda espuma café com leite!!!
Abraço garoto!!!

Rodrigo disse...

Diga lá Tales,

Escrevi estes posts lembrando da sua curiosidade pela Guinness. Infelizmente esta lata foi a última que eu possuía. Depois vou tentar encontrar alguma para vocÊ provar.

Cadê, foi no Bompreço comprar Baden Baden a preço de banana?

Anônimo disse...

Olá Rodrigo!
Tenho uma dúvida: por que algumas cervejas, inclusive a Guinness, são denominadas "draught". Procurei significados sobre isso, mas o mais próximo que cheguei foi "corrente de ar". Sabe alguma coisa?
PS: muito bom este post. Sou apaixonada pela Guinness e sempre leio os blogs que postam comentários sobre esta excelente cerveja.

Um abraço,
Harumi
(iuraharumi@hotmail.com)

Rodrigo Campos disse...

Olá Harumi,

Os termos draught, draft e tap beer são utilizados para designar cervejas servidas direto do barril. No Brasil seria o nosso chope, que não é pasteurizado, diminuindo o tempo de validade do produto. Mas em outros países a cerveja nos barris podem ser pasteurizadas.

Algumas cervejarias utilizam os termos draught e draft em cervejas envasadas em latas ou garrafas como forma de marketing, para descrever o produto como sendo igual ao servido direto do barril. Com a Guinness Draught eles utilizam aquela bolinha com gás nitrogênio para simular até a aparência da Guinness servida direto do barril.

Agradeço sua visita e foi um prazer te ajudar.

Grande abraço.

Related Posts with Thumbnails