26 dezembro 2009

A Ronda #19: Se é somente Cerveja...




A Ronda é um post coletivo feito por vários colegas blogueiros que gostam de cerveja e escolhem um tema específico para escrever. Desta vez, a idéia para a Ronda foi do colega Chela do blog Sursun & Corda. A idéia de Chela foi a seguinte:

"Vou propor a vocês um pouco de reflexão que se bem entendida pode servir como um exercicio de autocrítica. Blogues sobre cerveja, fóruns sobre cerveja, paginas criadas para pontuar e classificar. Se é somente cerveja, por que tanta excitação? Por que tanto esforço em escrever sobre ela e por que tanta obcessão desmedida e demagógica, em muitos casos, em querer fazer chegar a outras pessoas as nossas experiências com a cerveja. Não estamos tornando a cena cervejeira um pouco esnobe?"

O mundo inteiro está passando por uma onda de renascimento das cervejas artesanais. São em sua maioria cervejas de estilos tradicionais do continente Europeu, principalmente dos países de maior tradição como Bélgica, Alemanha, Reino Unido e República Tcheca. Depois que grandes companhias cervejeiras dominaram o mercado, estas cervejas foram sendo esquecidas em favor de cervejas cada vez mais leves e sem sabor. Depois de uma revolução (Craft Beer Renaissance - Renascimento da Cerveja Artesanal) ocorrer nos Estados Unidos durante a década de 80, novas cervejarias foram surgindo e reproduzindo os tradicionais estilos europeus esquecidos. Esta onda se espalhou pelo mundo e no Brasil deve ter começado de forma bem tímida no início da década de 90, com a abertura do mercado brasileiro para os importados, mas somente veio pegar corpo neste início de milênio, com o surgimento da maioria das microcervejarias brasileiras que hoje atuam no mercado.

Minha história com estas cervejas começou há três anos. Exatamente há um ano comecei a escrever meu blog com a intenção de compartilhar minhas experiências com outras pessoas. Nunca quis tornar o assunto esnobe, apesar de reconher a possibilidade de que algumas pessoas interpretem dessa forma a degustação de cerveja, considerada uma bebida popular e de baixo valor em países de pouca tradição cervejeira, como o Brasil por exemplo.


A intenção sempre foi de tentar contagiar outras pessoas com a paixão que tenho por estas cervejas tão saborosas, diversas e surpreendentes. Como consumidor destas maravilhas, sempre tive a necessidade de poder encontrar uma boa variedade nas lojas perto de minha casa, mas devido ao desconhecimento da maioria das pessoas sobre a existência destas cervejas, raramente encontro algo bom e vejo que ainda há muito espaço para crescer. O blog serve como uma ferramenta de propagação de conhecimento cervejeiro e de educação dos novos consumidores. Acho importante que as pessoas saibam que a cerveja não precisa ser sempre aquela bebida para ser consumida em grandes quantidades durante os dias de calor. A riqueza de estilos e variedades é muito grande. Tudo depende de qual estilo de cerveja você escolheu para aquele dia: uma Bohemian Pilsner ou uma Witbier para refrescar, uma English Bitter para abrir o apetite, uma Stout para acompanhar uma sobremesa à base de chocolate, uma Biére Brut para comemorar ou mesmo uma Barley Wine para ser apreciada com calma depois de uma refeição.

Você já imaginou como seria passar a vida inteira sem conhecer uma comida bem temperada e de repente conhecer o sal, a pimenta e todos os outros temperos que dão muito mais sabor e aroma às nossas refeições. Esta é exatamente a sensação que tenho desde que conheci as cervejas artesanais. A minha vontade é de que outras pessoas tenham a curiosidade de também experimentar e conhecer estas maravilhas e desta maneira fomentar o mercado brasileiro de cervejas especiais. Mas também tenho muita vontade de que apareçam cada vez mais cervejas de boa qualidade, tanto fabricadas dentro do país como também importadas, a preços que não dêem a falsa impressão de que elas sejam produtos para poucos privilegiados economicamente, especialistas ou até mesmo para esnobes.

A cerveja é uma bebida milenar e que acompanha a humanidade em todos os seus passos. Ela conseguiu espaço em todos os cantos do mundo e uma grande quantidade de consumidores, tornando-se a bebida alcoólica mais popular de todas. A cerveja é uma bebida democrática que reúne as pessoas e deixa o ambiente mais alegre. Mas ela também é versátil. Espero que muitos possam ainda conhecer o sabor da verdadeira cerveja e todo o prazer que ela pode nos proporcionar.

3 comentários:

Claudinei disse...

Grande Rodrigo!
 
Confesso que não entendi o comentário do citado colega blogueiro, não é um comentário típico de apaixonados pela nobre e milenar bebida fermentada de cereais, carregada de muita HISTÓRIA, como nós somos. Promover e valorizar a cultura cervejeira seria uma atitude esnobe? Discordo!
 
Parabéns pelo aniversário do seu excelente blog, nós continuamos acompanhando e prestigiando!

Rodrigo Campos disse...

Olá Claudinei,

Acredito que a intenção do Chela não foi dizer que a divulgação da cultura cervejeira é uma atitude esnobe. Até mesmo no blog dele algumas pessoas fizeream comentários parecidos com o seu. Ele diz que foi mal entendido nessas situações.

Na minha opinião, o que ele quiz fazer foi realmente um exercício de reflexão para evitar que este clima esnobe venha a ocorrer. Em algumas situações já vemos uma pontinha de esnobismo e como disse no post, este clima não combina com a cerveja.

Feliz Natal e um ano novo cheio de realizações ( e muita cerveja boa)!

Vitor Tattaglia disse...

Me fez pensar, acredito que se interpretado ao pé da letra como conta Aurélio Holanda, sim é esnobe. Meu avô dizia que a Antartica de Joinville no tempo dele era a melhor, naquela época atribuía à qualidade da água, era um enigma e com certeza motivo de bate papo no boteco. Acredito que na Bélgica ou Alemanha não haja essa culpa de ser esnobe. É um supérfluo sim, mas também um hobbie, e também um motivo de bons bate papos.

Related Posts with Thumbnails