25 abril 2010

Fuller's India Pale Ale



Para quem procura uma boa cerveja inglesa hoje no Brasil, sem dúvida alguma as melhores opções estão nas produções da Fuller's. O histórico da cervejaria Fuller's já foi postado aqui em outro momento, assim como meus comentários sobre várias cervejas produzidas por eles e disponíveis em nosso país: London Pride, Golden Pride, London Porter, ESB, 1845 e Honey Dew. Até hoje não me decepcionei com nenhuma dessas cervejas, a não ser pela Honey Dew que é uma produção mais leve e sem grandes destaques, propositadamente lançada pela cervejaria para competir com o crescente interesse do consumidor britânico por cervejas Lagers.

Hoje coloco aqui minhas impressões sobre a India Pale Ale, a qual estava devendo aos leitores. Muitos já sabem dessa história, mas como recebemos também leitores iniciantes na cultura da boa cerveja acredito que seja válido reforçar que a India Pale Ale é um estilo de cerveja típico da Inglaterra. O surgimento desse estilo é atribuído a necessidade de transportar cervejas em navios durante o século XVIII, época que a Índia era uma colônia inglesa. Segundo relatos, existia a necessidade de fabricar uma cerveja que pudesse ser transportada nas longas  viagens de 4 meses entre a Inglaterra e a Índia sem que chegasse estragada. Cervejas com maior teor alcoólico e maior presença de lúpulo conseguiam se manter mais estáveis durante as viagens, já que tanto o álcool como o lúpulo possuem propriedades conservantes. A India Pale Ale foi portanto uma adaptação das tradicionais English Pale Ales (ales pálidas) que, devido ao maior  teor alcoólico e à maior proporção de lúpulo, adquiriram mais corpo e amargor. Para os que estão mais adiantados no tema, eu recomendo a leitura do site criado pela cervejaria Meantime sobre a origem das IPA e do artigo no blog Zithophile acerca de uma polêmica sobre o criador do estilo, George Hodgson. No mesmo blog Zithophile ainda podemos ler outro artigo onde o autor tenta embasar tudo que afirma.


Fuller's India Pale Ale - India Pale Ale, 5.3%ABV, garrafa 500ml.

Cor: Âmbar, límpida.
Espuma: Média formação e duração, cor marfim, boa consistência, deixa marcas pelo copo.
Aroma: Lúpulo, malte, adocicado, caramelo, picante, cítrico, frutado (laranja).
Paladar: Malte, doce, caramelo, lúpulo, picante, cítrico, frutado (laranja). bom amargor final, de boa intensidade e duração, corpo médio, boa textura, carbonatação média.

Ótima cerveja. Muito malte e muito lúpulo no conjunto bem balanceado e equilibrado. Tem como destaque um amargor intenso e duradouro ao final de cada gole. O lúpulo aparece com toques picantes, típicos de variedades inglesas, e cítricos/ frutados, lembrando laranjas.

5 comentários:

Claudinei disse...

Fala Rodrigo!
 
Você saberia dizer qual seria em média o teor alcoólico das IPAs na época da colonização da Índia pelos britânicos? Se é que existem registros escritos e se essa característica era mensurada na época...
 
Notei que, mesmo sendo "bottle conditioned", a cerveja de fato é límpida na taça. Você a serviu da mesma forma que a Duvel?
 
Abraço.

Rodrigo Campos disse...

Claudinei,

Li muitas informações sobre India Pale Ales. Não é facíl obter fontes totalmente fiéis e que contenham todos os detalhes, como teor alcoólico, por exemplo. Pelo que pude ver, o teor alcoólico foi diminuindo com o tempo. Alguns especialistas até mesmo dizem que não encontramos mais IPA nos dias atuais já que a maioria delas tem 5% de álcool ou menos. Na época da colonização este teor alcoólico passava de 7%, mas podia chegar até os 9%.

Recomendo também a leitura de um site escrito pela cervejaria Meantime:
http://www.india-pale-ale.com/

Vou adicionar o link no texto do post.

As cervejas belgas, com excessão das Witbiers, eu sirvo com todo o cuidado para não incorporar o levedo. Com as Weizenbier alemãs eu tomo todo o cuidado para servir com o levedo. As outras cervejas com depósito de levedo no fundo da garrafa, como as "bottle conditioned ales" inglesas eu geralmente prefiro servir sem o depósito ou simplesmente não tomo cuidado algum, o que geralmente significa que somente parte do levedo é servido junto com o líquido no copo.

Rodrigo Campos disse...

Claudinei,

Se você tiver paciência de ler tudo, também recomendo a leitura do seguinte artigo no mesmo blog Zithophile:

http://zythophile.wordpress.com/2010/03/31/ipa-the-executive-summary/#comments

Não fala especificamente sobre o teor alcoólico, mas sobre a origem do estilo IPA.

Claudinei disse...

Rodrigo,

Era o que eu imaginava, pra poder conservar a cerveja (que já é sensível) por meses e no balançar dos navios em alto-mar, só mesmo um teor alcoólico (bem) mais elevado que o das ales padrão da época, além da lupulagem extra. Até porque não existia pasteurização na época, e muito menos os conservantes químicos de hoje, correto?

Agradeço as informações adicionais (você, solícito como sempre), vou ler com calma.

Um abraço.

MASPER disse...

Ola Srs. venho por este divulgar a MASPER Aço Inox, fabricante de equipamentos e soluções para indústria cervejeira, vendemos microcervejarias completa desde fabricação de 50 litros até 10.000L por brassagem. Para mais informações acesse o site www.masper.ind.br ou envie e-mail para ricardo@masper.ind.br , Grande abraço Ricardo Dal Mas

Related Posts with Thumbnails